segunda-feira, 9 de janeiro de 2006

The Round Table e o Arqueiro

Together we stand
Steel in our hands
Fighting forever
Forever we stand

Forever we fight
Side by side
Forever we stand
Forever we fight


Mas então
, eu estava aqui no meu quarto, em mais uma quente madrugada, lendo meu livro O Arqueiro, do Bernard Cornwell e ouvindo músicas aleatórias. Tava no final do livro já, naquela parte que é impossível vc largar o livro, pois vc quer ver o final da história logo. No livro os exércitos ingleses e franceses se encontravam um de frente pro outro, o francês com o dobro de soldados, mas os ingleses tinham os arqueiros hohohohoho

Mas enfim, o fato é que na hora que os exércitos estavam prestes a se degladiar, naquela que ficaria conhecida como a batalha de Crecy, quando começou a tocar essa música ae de cima (aka The Round Table (Forever), do Grave Digger) e, uau, foi incrível. No mesmo momento minha imaginação entrou em ação e começou a me colocar na história. Eu imaginei o exército inglês inteiro cantando esse refrão antes da batalha e ficou foda. Sei que parece ridículo, mas foi puta emocionante o momento. Deu até vontade de pegar uma espada e se juntar a luta \,,/

Méritos pro Grave, que conseguiu fazer uma música que no caso é até certo ponto simples, mas que esbanja feeling. Aí eu resolvi ouvir a versão dela ao vivo, gravado em Sampa ano passado (eu tava lá \o\) que ficou mais foda ainda. Aí depois veio a Heavy Metal Breakdown, cujo final ao vivo arrepiou tanto que doeu. Aliás com essa histórias toda eu fiquei horas ouvindo Grave Digger, senti mó saudades do show, que foi extremamente foda, do pessoal que eu conheci lá, das tosqueiras, do Bolthendahl, etc \o\

Bem, e méritos também para o Cornwell (eu gosto de chamar ele de poço de milho \o/), que é um gênio em descrever batalhas, vc se sente lá dentro lendo-as, é incrível. Esse livro me decepcionou um pouco, principalmente no começo, os personagens soam um pouco superficiais demais, mas do meio pro fim o livro melhora muito e culmina na tal Batalha de Crecy, que é simplesmente fantástica!

E méritos pra minha imaginação tb /o/


5 comentários:

Mariana disse...

eu nao estou em faculdades mentais para comentar decentemente
tenho dito
espera que amanha eu escrevo algo aqui e nos dois de baixo ai
\o/
fiiighhhhhtttttttttttttt

Krebain disse...

Grave Digger realmente destrói. Deu vontade de escutar...

Enfim, eu só estou fazendo esse comentário HORROROSO, porque o senhor postou no meu blog. Alias, entrem no meu blog. É MUITO melhor que esse. hahaha

Enfim cara, Forever We Stand... ("Gee, isso soou gay")

gustavo marchiori disse...

aee, se vc fica bebendo vodka sempre q for ler vai ser sempre isso ai, larga a bebida rapaz ....abrçs

Nathália disse...

Sua imaginação é absurdamente fértil! :S
Acho que você tava era bêbado hein... :P
Enfim, sem mais o que falar! \o/
Bjs! ^^

Nandes disse...

Po, pode falar, desse pessoal que você conheceu la, só eu sou foda o bastante pra ficar do seu lado enquanto você se prensa entre a grade e o teto pra ver melhor o show \,,/

Sim, eu tive que tirar 5 minutos pra ficar rindo da sua cara quando eu li o segundo parágrafo

O Arqueiro é bom, mas o Thomas é meio CUH nesse livro, O Andarilho é o melhor dos 3 mesmo.

E mérito pro Grave Digger mesmo, melhor banda de 2005 disparado, melhor show, terceiro melhor álbum do ano e top 5 álbums ao vivo desde sempre. Fiquei com vontade de ouvir o 25 to Live.